Monthly Archives: August 2019

Geraldo e a Samira prestes a subir ao palco do Artes à Rua em Évora!

Faltam apenas 4 dias para a grande estreia de Geraldo e Samira – Uma Ópera Para Évora
31 AGO & 1 SET
22h00
Évora – Jardim da Palmeira

Corre o ano de 1165… 
Depois de um serão festivo nos jardins do palácio do alcaide de Yabura, Geraldo, tirando proveito de uma relação com Yasmina – que servia no palácio, rapta Samira, a filha do alcaide, e leva-a para o seu castro pretendendo usá-la como moeda de troca pela cidade.

© André Roma

Assim se dá o mote para “Geraldo e Samira – Uma Ópera Para Évora”, um épico inédito que se constitui como tributo a esta cidade alentejana e à sua importância na independência de Portugal. Um tributo feito de ficção, música e dança que parte dos amores e desamores, alianças e traições de dois dos mais destacados personagens da iconografia eborense: Geraldo Sem Pavor e a moura Samira.
Inspirados por toda a mitologia que rodeia estes dois personagens e este período ímpar da História de Portugal, a Musicamera e o conceituado compositor português Amílcar Vasques-Dias juntaram-se para conceber um espectáculo que conta com dezenas de cantores, actores, músicos e figurantes.
Os protagonistas da ópera são algumas das mais reconhecidas vozes da música lírica nacional e internacional: Marco Alves dos Santos como Geraldo, Natasa Sibalic como Samira e ainda Miguel Maduro Dias, Luís Rendas Pereira, Juliana Mauger e Manuel Gamito. Serão acompanhados por uma orquestra de 20 elementos, pelo coro Eborae Mvsica e um grupo de instrumentistas, bailarinos e cantores árabes, todos sob a direcção musical do maestro Brian MacKay e de Luís Pacheco Cunha.
Mas não só de profissionais se faz este espectáculo: também a comunidade eborense foi convidada a participar. Depois de um casting, os actores, músicos, dançarinos e membros da equipa técnica escolhidos trabalharam durante dois meses no projecto, em ambiente de residência artística.
Com música de Amílcar Vasques-Dias, “Geraldo & Samira – Uma Ópera para Évora” tem libreto original de Helena da Nóbrega, encenação de F. Pedro Oliveira, coreografia de Nélia Pinheiro e Isabel Telinhos é a responsável pelo guarda-roupa.
A estreia está marcada para os dias que encerram Agosto e dão as boas-vindas a Setembro, no Jardim da Palmeira (espaço verde contíguo ao Hotel M’Ar de Ar Muralhas), em Évora, sendo a entrada gratuita.
Descubra connosco este pedaço da nossa história!

Esta é uma produção da Musicamera que conta com o financiamento da Direção-Geral das Artes e Câmara Municipal de Évora – Artes à Rua, inscrevendo-se no seguimento da candidatura da cidade a Capital Europeia da Cultura 2027.

Posted in Agenda | Leave a comment

Festival CriaSons está de regresso aos Capuchos

Festival CriaSons – 2ª edição
Tendências da Música Contemporânea

7º CONCERTO
“PERSISTÊNCIA”

PROGRAMA de AMÍLCAR VASQUES-DIAS

Obras de Louis Andriessen, Misha Mengelberg, Edward Luiz Ayres d’Abreu, Klas Torstensson e Amílcar Vasques-Dias

24 AGOSTO 2019
ALMADA – Convento dos Capuchos
19h00

No dia 24 de Agosto, às 19h00, o CriaSons regressa a Almada para mais um concerto no Convento dos Capuchos, cuja entrada é livre.

Intitulado “Persistência”, o programa é um original do compositor Amílcar Vasques-Dias, criado para a 2ª edição do CriaSons, onde apresenta ao público português a Orkest De Volharding, fundada em 1972, em Amsterdão, pelo compositor Louis Andriessen. Conta com obras do próprio Amílcar Vasques-Dias, de Louis Andriessen, Misha Mengelberg, Edward Luiz Ayres d’Abreu, Klas Torstensson.

O elenco instrumental da Orkest, constituído por 13 músicos de formação erudita e com práticas musicais nas áreas do jazz, do rock, pop e da improvisação, tinha características sui generis: flauta / piccolo, 3 saxofones (soprano, alto, tenor), trompa, 3 trompetes, 3 trombones, contrabaixo e piano. Era uma alternativa-provocação ao aparatoso ‘símbolo de Estado’ da grande e pesada orquestra clássico-romântica holandesa!

O programa inclui o arranjo/orquestração de ‘Grândola, Vila Morena’, de José Afonso, realizado pelo compositor em 1974, a pedido de Louis Andriessen, as peças ‘Balada do Amor Militante’ (1980), ‘Coro da Primavera’ (1981), ‘Canto de trabalho’ (1980), ‘Romance d’O Conde da Alemanha’ (1982) e ‘Pranto’ (1984/88). Vai ser ainda apresentada ‘Vanfarra’, uma obra que estreou no último concerto do CriaSons e que foi criada para o festival, pelo compositor emergente Edward Luiz D’Abreu.

Amílcar Vasques-Dias é compositor e pianista. Construiu a sua carreira entre Portugal e Holanda, onde foi aluno de Louis Andriessen, Peter Schat, Jan van Vlijmen e de Dick Raaijmakers. Destaca-se ainda a formação que teve com Karlheinz Stockhausen, com Iannis Xenakis e com Cândido Lima. O interesse pela música tradicional portuguesa surge a partir do contacto com Fernando Lopes-Graça. Os seus concertos passaram já por Portugal, Espanha, Holanda, Alemanha, Bélgica, França, Rússia, Canadá e Estados Unidos da América.

O concerto no Convento dos Capuchos conta com interpretação de Manuel Luís Cochofel (flauta), Ricardo Pires, João Pedro Silva, Elmano Coelho (saxofones), Sérgio Charrinho, Pedro Monteiro, Rui Chainho (trompetes), Ruben da Luz, Eduardo Lála (trombones), Mário Vicente (trombone baixo), Nuno Cunha (trompa), Daniel Bernardes (piano), Miguel Menezes (contrabaixo) e Brian MacKay (maestro).

Posted in Agenda | Leave a comment