ALEJANDRO ERLICH OLIVA

alex-seminario-ba

Alejandro Erlich Oliva, esteve recentemente em Buenos Aires para novo Seminário no Instituto Superior de Arte do Teatro Colón. A acção pedagógica foi intensa e muito bem sucedida.

CURRICULUM VITAE

Proveniente de uma família de músicos, os seus pais e o violinista Aldo Tonini foram os seus primeiros orientadores musicais. Cursou estudos no Conservatorio Municipal de Buenos Aires “Manuel de Falla”, na classe de Contrabaixo de Hamlet Greco. Foram também seus professores Enrique Belloc (Forma Musical e Análise), Fermina Casanova (Harmonia), Roque de Pedro (Contraponto), Ángel Lasala (Música de Câmara), Mario García Acevedo e Alicia Terzián (História da Música), entre outros.

Nos anos 70 integrou a Orquesta Sinfónica Juvenil de LRA Radio Nacional e, como instrumentista convidado, a Orquesta Filarmónica de Buenos Aires (Teatro Colón) e o Ensamble Musical de Buenos Aires. Em 1974 obteve o cargo de Contrabaixo Solista Adjunto da Orquesta Sinfónica Nacional.

Laureado na Selección Jóvenes Valores Argentinos (1973), obteve o Primeiro Prémio Estímulo Cultural (1973) e o Primeiro Prémio Promociones Musicales  (Buenos Aires, 1974).

Frequentou cursos internacionais no Camping Musical de Bariloche (Argentina, 1976), na  International Menuhin Music Academy de Gstaad (Suiça, 1978) e nos Cursos Internacionais de Música da Costa do Estoril orientados por Ludwig Streicher (1978).

Primeiro Contrabaixo Solista da Orquestra Gulbenkian entre 1976 e 2010, foi membro fundador do Opus Ensemble em 1980 e do Grupo ColecViva, liderado por Constança Capdeville, em 1983. Actuou a solo com as Orquestras de Câmara de Macau, da Madeira e do Collegium Musicum de Buenos Aires, com a Orquesta de Câmara Argentina Alberto Lysy, Orquesta Sinfónica Nacional e Orquesta Sinfónica de San Juan (Argentina), Grupo de Câmara do Festival de Estoril, Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sinfónica da RDP (Porto) e Orquestra Nacional do Porto , sob a direcção dos maestros Bruno Pizzamiglio, Ljerko Spiller, Álvaro Salazar, Fernando Eldoro, Maurice Gendron, Juan Pablo Izquierdo, Alberto Lysy, Claudio Scimone, Gunther Arglebe e Manuel Ivo Cruz. Realizou numerosos recitais com as pianistas Amelia Oliva Erlich e Olga Prats.

A convite da Renascimento Musical Editores Lda., elaborou o aparelho crítico completo (revisão livre, cadências, redução para piano e nota descritiva) da Fantasia para Contrabaixo (1864) de João Rodrigues Cordeiro. Na década dos 80, apresentou esta obra em Portugal (Orquestra Gulbenkian, Claudio Scimone), realizou a primeira audição latino-americana (Teatro Colón de Buenos Aires) e a estreia nos Estados Unidos (New York, Carnegie Recital Hall) com Olga Prats em piano no contexto de uma tournée do Opus Ensemble. Deu a conhecer também obras de José Luis Castiñeira de Dios, Ángel Lasala, João Passos, Jorge Peixinho, Lopes e Silva e Constança Capdeville.

aeo-foto-2

Participou em concertos de música de câmara com Maria João Pires, Augustin Dumay, Gerard Caussé, Gary Hoffman, Jeremy Menuhin, Alain Moglia, Ana Bela Chaves, Paulo Gaio Lima, Philippe Aîche, Emmanuel Gaugué, Quarteto Lopes-Graça e Duo Contracello, entre outros.

Leccionou seminários e master-classes na Escola de Música do Porto, no Serviço ACARTE da Fundação Calouste Gulbenkian, nos Cursos de Formação Profissional do Fundo Social Europeu, no Grupo Coordenador das Escolas de Música Particulares, na FMAC (Fundação Musical dos Amigos das Crianças), na Universidad Nacional de San Juan (Argentina), na ESART (Escola Superior de Artes Aplicadas) de Castelo Branco, na ANSO (Academia Nacional Superior de Orquestra, Lisboa) e na Escola Profissional de Música de Viana do Castelo.

Foi eleito Vice-Presidente da Assembleia Geral do Sindicato dos Músicos de Portugal (2000-2003) e Vice-Presidente da Assembleia Geral do Conselho Português da Música da UNESCO (em representação do Opus Ensemble).

Entre 1994 e 1999 publicou no jornal A Capital uma coluna semanal especificamente dedicada à divulgação de discografia clássica portuguesa. A convite de António Victorino d’Almeida redigiu textos para vários CDs do amplo catálogo do compositor. Pronunciou conferências e comentou concertos para CCB (Centro Cultural de Belém), Festival Música em Leiria, Câmara Municipal de Portalegre e Associação Amigos do Teatro Nacional de São Carlos. Organizou na Fundação Calouste Gulbenkian (Auditório 2, 1982) o primeiro concerto público de quarteto de contrabaixos em Portugal.

Em Setembro de 2007 foi ensaiador / preparador das cordas para o concerto inaugural da Orquestra de Câmara Portuguesa no Centro Cultural de Belém.

Na qualidade de Produtor Musical, Director de Gravação e Arranjador, colaborou com artistas portugueses e estrangeiros, tais como  Vitorino Salomé, António Portanet, Vasco Martins, Pedro Caldeira Cabral, Nuno da Câmara Pereira (com a Orquestra Sinfónica do Estado da Lituânia), Pedro Abrunhosa, Carlos do Carmo (com o Opus Ensemble) e Quarteto Lopes-Graça (com Olga Prats).

O seu catálogo autoral está enquadrado na modalidade Música de Câmara. Dedicou obras ao Opus Ensemble, ao Duo Contracello, ao Quarteto Lopes-Graça e ao StravinsTrio.

Junho de 2015