Quarteto Lopes-Graça | Música Portuguesa para um Quarteto – Q. Festival

Q Festivval

O Quarteto Lopes-Graça, vai actuar esta sexta-feira, dia 30 de Março, no Q. Festival em Utrech, levando a música erudita portuguesa além fronteiras e fazendo parte de uma já icónico e importante festival.
PROGRAMA
FREITAS BRANCO, Luiz de
[Lisboa, 1890 – 1955]

Quarteto de Cordas (1910)
Moderato
Vivo
Lento
Animado
BRAGA-SANTOS, Joly
[Lisboa, 1924 – 1988]

Quarteto de Arcos nº 2, op. 29 (1957)
(Dedicado a Maria José Braga Santos)

Largo – Allegro moderato
Adagio molto – Andante con moto
Largo – Allegro molto vivace

Joly Braga Santos, Integral de Música de Câmara – Concerto Programa II | 7 Dezembro @ CCB

integraljolysite

CONCERTO II – MÚSICA DE CÂMARA COM PIANO – 7.XII.2017 
PROGRAMA  DEDICATÓRIA  ARTISTAS  FORMAÇÃO  ANO 
Quarteto com Piano,      op. 28  Ao Quarteto de Lisboa  Jill Lawson, Eliot Lawson, Natasha Tchitch, Catherine Strynckx Piano, Violino, Violeta e Violoncelo  1957 
Suite de Danças, op. 63  Ao Opus Ensemble  Jill Lawson, Ricardo Lopes, Natasha Tchitch, Adriano Aguiar  Piano, Oboé, Violeta e Contrabaixo  1984 
Trio com Piano, op. 64  Ao Mirecourt Trio  Jill Lawson, Eliot Lawson, Catherine Strynckx Piano, Violino e Violoncelo  1985 

Esta próxima quinta-feira, dia 7 de Dezembro às 21h00, a Sala Luís Freitas Branco no Centro Cultural de Belém irá receber mais um concerto do projecto “Joly Braga Santos, Integral de Música de Câmara”, desta feita com o Progama II – Música de Câmara com Piano.

Um concerto absolutamente imperdível!

Duo Contracello “Ver os Sons, Ouvir Imagens” | 21 de Setembro @ Banco de Portugal

21 Setembro DuoContracello

O Duo Contracello apresenta no próximo dia 21 de Setembro, quinta-feira, às 17h30 uma vez mais o seu projecto “Ver os Sons, Ouvir Imagens”, no Auditório EP do Banco de Portugal, em Lisboa.

 

O concerto tem entrada livre e terá o seguinte programa:

Peaceful Meeting (2016) | Clotilde Rosa (1930), imagens de Joana Lessa

Sete Momentos em Forma de Trança (2017) |  Ângela Lopes (1965) – E(H)LLE(M), imagens de Inês Silva, Estreia Mundial

Anamorphoses VW (2014) | Isabel Soveral (1961), imagens de Maria Irene Aparicío

Fluxus, Drag (2015) | Jaime Reis (1983)

 

Não percam esta oportunidade de presenciar este projecto único, que culminará numa experiência inigualável!

Ópera Soror Mariana Alcoforado: Estreia Mundial | 17 e 18 de Junho | Convento dos Capuchos

18920974_1649885205025159_8780573796545158654_o

O dia chegou, depois de meses de trabalho intensivo está aqui finalmente a estreia mundial da Ópera Soror Mariana Alcoforado, com duas récitas nos dias 17 e 18 de Junho!

Um espetáculo original com estreia absoluta, para revelar o resultado de um programa participativo, construído segundo um formato de residência artística.

É pretendido revelar a vida em clausura, de Mariana Alcoforado, como autora de um conjunto de cinco cartas de amor para Noël Bouton, Marquis de Chamilly, mais tarde Marechal de França, durante as Guerras da Restauração.

Espetáculo gratuito e de entrada livre:
– O acesso é assegurado no respeito pela capacidade do espaço de representação, o Claustro do Convento.

– O acesso à oferta de bilhetes, por reserva, deve ser feito a partir das 10h de segunda-feira, dia 12 de junho, por telefone.

– Os bilhetes/convite devem ser levantados no Convento dos Capuchos uma hora antes do início do espetáculo.

É autorizada a reserva do máximo de 5 ingressos por pessoa.
(tel. 21 291 93 42)

QLG | Digressão no Funchal, 1 e 3 de Junho | Salão Nobre da Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira

Quarteto Lopes-Graça

O Quarteto Lopes-Graça irá à espantosa ilha da Madeira, nomeadamento ao Funchal, para realizar uma digressão de dois concertos nos dias 1 e 3 de Junho de 2017 no Salão Nobre da Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira.

O primeiro concerto, no dia 1 de Junho, será com o programa Brigdes Over Troubled Cultures, a fantástica soprano Natasa Sibalic actuará como artista convidada e será realizada a primeira audição mundial da peça Três Canções de Alejandro Erlich Oliva para soprano e quarteto de cordas.

O segundo, e último, concerto será com a Orquestra Clássica da Madeira e serão tocadas peças de Mozart e Elgar, um concerto único e absolutamente imperdível.

 

Olga Prats | 65 anos de carreira: Homenagem da Escola de Música do Conservatório Nacional

olga65anos

 

O Centro Cultural Olga Cadaval (Sintra), a Escola de Música do Conservatório Nacional (Lisboa) e a Casa da Música (Porto) homenageiam a figura de Olga Prats no ano das comemorações dos seus 65 anos de carreira.

Na Sexta Feira 12 de Maio será a vez do venerável estabelecimento de ensino da Rua dos Caetanos (Bairro Alto).

Pelas 19:00 horas, Olga Prats entrará em cena no Salão Nobre, acompanhada por dois “pesos pesados” da Música em Portugal: António Victorino d’Almeida e Artur Pizarro.

Num serão descontraído e intimista, Olga e os seus amigos tocarão um interessante reportório que inclui algumas estreias mundiais e várias surpresas.
Ouvir-se-ão obras de (por ordem alfabética): Alejandro Erlich Oliva, António Victorino d’Almeida, Constança Capdeville, Diego Kovadloff, Fernando Lopes-Graça, João M. Blanc de Castro Abreu e Motta e Sérgio Azevedo, entre outros.

Bilhetes disponíveis no foyer, com preço à vontade de cada ouvinte. Os artistas actuarão gratuitamente. A receita de bilheteira será 100% destinada ao fundo de ajuda financeira para reparações urgentes no Salão Nobre.

Olga Prats | Concerto de Comemoração 65 Anos de Carreira, com António Victorino D’Almeida e Artur Pizarro

olga65anos

 

O Centro Cultural Olga Cadaval (Sintra) comemorará proximamente os 65 anos de carreira da grande pianista portuguesa Olga Prats.

Na Sexta Feira 5 de Maio às 21:30, Olga Prats entrará em cena acompanhada por dois “pesos pesados” da Música em Portugal: António Victorino d’Almeida e Artur Pizarro.
Num serão descontraído e intimista, Olga e os seus amigos tocarão um interessante reportório que inclui algumas estreias mundiais.
Ouvir-se-ão obras de (por ordem alfabética): Alejandro Erlich Oliva, António Victorino d’Almeida, Astor Piazzolla, Constança Capdeville, Diego Kovadloff, Fernando Lopes-Graça, João M. Blanc de Castro Abreu e Motta e Sérgio Azevedo.

Bilhetes disponíveis na bilheteira do Centro Cultural Olga Cadaval ou aqui.

SOROR MARIANA – Excursão a Beja | 19/02/2017

EXCURSÃO A BEJA – CONVENTO DA CONCEIÇÃO
No próximo domingo, dia 19 de Fevereiro, todos os participantes deste projecto único irão visitar o Convento da Conceição (actual Museu Regional de Beja) onde viveu e amou a nossa heroína.
A saída far-se-á às 10:00 horas, na praça de São João Baptista, em Almada.
O regresso está previsto para as 19:30 horas. Estão previstos dois autocarros, num total de 103 lugares.
  • A visita ao Mosteiro está confirmada para o dia 19 de fevereiro a partir das 14:00 horas;
  • Irá acompanhar a visita um técnico do Museu Regional de Beja/guia, especializado na temática da ‘ Mariana de Alcoforado’ ;
  • Os alunos de turismo da Escola Secundária Fernão Mendes Pinto irão indicar locais onde as pessoas participantes poderão ‘ fazer piquenique’ com boas condições e restaurantes locais.
  • A libretista HELENA NÓBREGA ir fazer um relato detalhado do estado dos trabalhos e uma exposição sobre a vida e obra de Soror Mariana Alcoforado.

MÚSICA E EMIGRAÇÃO – Recital Alejandro Erlich Oliva e Olga Prats – Teatro Municipal de Bragança 4/03/2017

Olga e Alex
MÚSICA E EMIGRAÇÃO
OLGA PRATS (piano) / ALEJANDRO ERLICH OLIVA (contrabaixo)
Musica sem fronteiras geográficas nem culturais sentida e dialogada em Portugal por dois intérpretes de eleição.
 
Programa
JOÃO RODRIGUES CORDEIRO
(Rio de Janeiro, Brasil, 1826 – Lisboa, 1881)
Fantasia para contrabaixo e piano
 
CONSTANÇA CAPDEVILLE
(Barcelona, Espanha, 1937 – Lisboa, 1992)
Amen para uma ausência
Versão para contrabaixo solo, dedicada a Alejandro Erlich Oliva
Visions d’ enfants
para piano
Quand je serai soldat
Mamman, j’ai vu dans la Lune
Caixa de Música
____________________________
GIOACCHINO ROSSINI
(Pesaro, Itália, 1792 – Paris, França, 1868)
Une larme pour basse
____________________________
MARIUS CONSTANT
(Bucarest, Roménia, 1925 – Paris, 2004)
Sisyphe
Sisyphe heureux
(de Trois Complexes pour piano avec contrebasse)
____________________________
ALEJANDRO ERLICH OLIVA
(Buenos Aires, Argentina, 1948)
Pequeña Canción y Danza
para contrabaixo e piano (in memoriam Ángel Lasala)
____________________________
ASTOR PIAZZOLLA
(Mar del Plata, Argentina, 1921 – Buenos Aires, 1992)
Kicho
 
Nesta produção nitidamente conceptual, o repertório escolhido focaliza compositores conotados com a emigração, nas suas diversas formas: própria ou dos progenitores, temporária ou definitiva, real ou metafórica.
João Rodrigues Cordeiro (1826-1881) nasceu no Brasil, filho do médico português Dr. Rodrigues Curto. Regressou a Portugal ainda criança, acompanhando a reinserção do seu pai no âmbito científico português.
Em movimentação contrária à de Rodrigues Cordeiro, o argentino Astor Piazzolla (1921-1992) partiu ainda criança para os Estados Unidos de América, com a forte influência que isso viria a ter no futuro da sua Música.
A compositora e pedagoga catalã – naturalizada portuguesa – Constança Capdeville (1937-1992) e o contrabaixista e compositor argentino Alejandro Erlich Oliva (1948) concretizaram em Portugal os seus mais significativos projectos artísticos, tal como o romeno Marius Constant (1925-2004) o fez na França, que outorgou-lhe altas condecorações de Estado.
Neste contexto, Gioacchino Rossini (1792-1868) representa um paradoxal caso de emigração dentro de fronteiras. Instalado na fama e detentor, ainda jovem, do elevadíssimo estatuto de compositor operático de prestígio internacional, Rossini enveredou por emigrar da sua própria criação, decretando um auto exílio – de motivação jamais esclarecida – que durou mais de três décadas, durante as quais não escreveu uma única linha de ópera.
O repertório resultante desta selecção configura um itinerário musical que abrange desde a primeira metade do Séc. XlX até aos nossos dias, passando pela modernidade e a vanguarda europeia, a Música Portuguesa, o folclore rural argentino e a Música Urbana Contemporânea de Buenos Aires.
Esta ampla variedade estilística está, porém, enquadrada num rigoroso factor de especificidade: todas as obras são originais para os instrumentos em que serão apresentadas.

Membros fundadores do Opus Ensemble e do Grupo Colecviva (dirigido por Constança Capdeville), a pianista Olga Prats e o contrabaixista Alejandro Erlich Oliva são dois “pesos pesados” da Música de Câmara em Portugal. Quando actuam juntos, o resultado geral é muito mais do que a soma das partes. Desde o Sec. XVIII  até aos nossos dias, passando pela modernidade, a vanguarda, a Música Portuguesa e o Tango, os recitais de Olga e Alex constituem momentos musicais de grande originalidade e rara beleza.

CASTING PARA CORO DA ÓPERA “SOROR MARIANA”

LOGO

Venha fazer parte de um novo e entusiasmante projecto!

A Musicamera Produções com a colaboração da Câmara Municipal de Almada está a recrutar cantores para o coro de uma nova ópera em estreia absoluta inspirada em “As Cartas de Uma Freira Portuguesa”, de seu nome Soror Mariana.

Preparado(a) para uma experiência única? Venha ter conosco dia 21 de Janeiro a partir das 15h no Convento dos Capuchos em Almada!

Para mais informações clique no link em baixo
http://www.m-almada.pt/operasorormarianaalcoforado