Geraldo e a Samira prestes a subir ao palco do Artes à Rua em Évora!

Faltam apenas 4 dias para a grande estreia de Geraldo e Samira – Uma Ópera Para Évora
31 AGO & 1 SET
22h00
Évora – Jardim da Palmeira

Corre o ano de 1165… 
Depois de um serão festivo nos jardins do palácio do alcaide de Yabura, Geraldo, tirando proveito de uma relação com Yasmina – que servia no palácio, rapta Samira, a filha do alcaide, e leva-a para o seu castro pretendendo usá-la como moeda de troca pela cidade.

© André Roma

Assim se dá o mote para “Geraldo e Samira – Uma Ópera Para Évora”, um épico inédito que se constitui como tributo a esta cidade alentejana e à sua importância na independência de Portugal. Um tributo feito de ficção, música e dança que parte dos amores e desamores, alianças e traições de dois dos mais destacados personagens da iconografia eborense: Geraldo Sem Pavor e a moura Samira.
Inspirados por toda a mitologia que rodeia estes dois personagens e este período ímpar da História de Portugal, a Musicamera e o conceituado compositor português Amílcar Vasques-Dias juntaram-se para conceber um espectáculo que conta com dezenas de cantores, actores, músicos e figurantes.
Os protagonistas da ópera são algumas das mais reconhecidas vozes da música lírica nacional e internacional: Marco Alves dos Santos como Geraldo, Natasa Sibalic como Samira e ainda Miguel Maduro Dias, Luís Rendas Pereira, Juliana Mauger e Manuel Gamito. Serão acompanhados por uma orquestra de 20 elementos, pelo coro Eborae Mvsica e um grupo de instrumentistas, bailarinos e cantores árabes, todos sob a direcção musical do maestro Brian MacKay e de Luís Pacheco Cunha.
Mas não só de profissionais se faz este espectáculo: também a comunidade eborense foi convidada a participar. Depois de um casting, os actores, músicos, dançarinos e membros da equipa técnica escolhidos trabalharam durante dois meses no projecto, em ambiente de residência artística.
Com música de Amílcar Vasques-Dias, “Geraldo & Samira – Uma Ópera para Évora” tem libreto original de Helena da Nóbrega, encenação de F. Pedro Oliveira, coreografia de Nélia Pinheiro e Isabel Telinhos é a responsável pelo guarda-roupa.
A estreia está marcada para os dias que encerram Agosto e dão as boas-vindas a Setembro, no Jardim da Palmeira (espaço verde contíguo ao Hotel M’Ar de Ar Muralhas), em Évora, sendo a entrada gratuita.
Descubra connosco este pedaço da nossa história!

Esta é uma produção da Musicamera que conta com o financiamento da Direção-Geral das Artes e Câmara Municipal de Évora – Artes à Rua, inscrevendo-se no seguimento da candidatura da cidade a Capital Europeia da Cultura 2027.

This entry was posted in Agenda. Bookmark the permalink.

Comments are closed.