Integral de Música de Câmara de Joly Braga Santos @ Évora, Lisboa e Castelo Branco – 6 a 8 Junho

Joly-Braga-Santos-464

MÚSICA DE CÂMARA DE JOLY BRAGA SANTOS CELEBRA-SE EM DOSE TRIPLA EM JUNHO

6 Junho | Teatro Garcia de Resende, Évora | 21h30
7 Junho | CCB, Lisboa | 19h
8 Junho | CCCCB, Castelo Branco | 21h30

 

No ano do 30.º aniversário do desaparecimento de Joly Braga Santos, a Musicamera Produções prossegue o desígnio de celebrar e divulgar a obra de música de câmara de uma das principais figuras da música portuguesa do século XX. Já em Junho, apresentam três concertos que fazem parte do projecto “Integral da Música de Câmara de Joly Braga Santos”.

No dia 6 de Junho, o reconhecido Quarteto Lopes-Graça faz as honras de abertura da 1ª edição do Festival 20.21 – Évora Música Contemporânea, às 21h30, no Teatro Garcia de Resende, em Évora. Luís Pacheco Cunha (Violino), Maria José Laginha (Violino), Isabel Pimentel (Violeta) e Catherine Strynckx (Violoncelo) interpretarão peças de Joly Braga Santos para quarteto e ainda Prelúdio à Sesta das Cigarras, obra do compositor, pianista e director do festival Amílcar Vasques Dias, especialmente dedicada ao Quarteto Lopes-Graça.

No dia 7, Olga Prats (Piano), Leonor Braga Santos (Violeta), António Saiote (Clarinete), Nuno Ivo Cruz (Flauta), Ricardo Lopes (Oboé), Carolino Carreira (Fagote), Paulo Guerreiro (Trompa), Jorge Almeida (Trompete), António Quítalo (Trompete), Pedro Monteiro (Trompete), Jarret Buttler (Trombone), Vítor Faria (Trombone) e Ilídio Massacote (Tuba) sobem ao palco do CCB, em Lisboa, às 19h, para o quarto e último concerto da série “Integral da Música de Câmara de Joly Braga Santos”.

Este mesmo programa é novamente apresentado pelos 13 músicos de excelência no dia 8, no CCCCB – Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco, às 21h30.

Estreado em Novembro de 2017 no CCB, o projecto da Musicamera Produções “Integral da Música de Câmara de Joly Braga Santos”, que reúne a música de câmara instrumental do compositor num ciclo orgânico de concertos em Portugal, continuará assim, em 2018 e 2019, a percorrer o país, num gesto de “defesa e fruição de um acervo fulcral no devir da cultura musical portuguesa” (Alejandro Erlich Oliva, Musicamera Produções).

Mais informações sobre os bilhetes do Festival 20.21 aqui, do CCB aqui e do CCCCB aqui.

 
Programas

Évora
Joly Braga Santos [1924-1988]
Quarteto de Arcos nº 1, op. 4 (1945) 35’00’’
Dedicado a Luís de Freitas Branco
Allegro moderato
Allegro con fuoco
Andante tranquillo
Allegro molto energico e appassionato

Amílcar Vasques Dias [1945]
Prelúdio à Sesta das Cigarras (2010) 6’30’’
Obra dedicada ao Quarteto Lopes-Graça

Joly Braga Santos [1924-1988]
Quarteto de Arcos nº 2, op. 29 (1957) 23’00’’
Dedicado a Maria José Braga Santos
Largo – Allegro moderato
Adagio molto – Andante con moto
Largo – Allegro molto vivace

Lisboa e Castelo Branco
Joly Braga Santos [1924-1988]
Ária a Tre, op. 62 (1984) 8’50’’
Para Clarinete, Violeta e Piano
Dedicada a Diogo Paes, Leonor Braga Santos e António Rosa
interpretação de António Saiote, Leonor Braga Santos e Olga Prats

Joly Braga Santos [1924-1988]
Improviso, op. 70 (1988) 5’00’’
Para Clarinete e Piano
Dedicada a António Saiote e Olga Prats
interpretação de António Saiote e Olga Prats

Joly Braga Santos [1924-1988]
Peça para Fagote e Piano (1946) 3’50’’
Dedicado a Ângelo Pestana
interpretação de Carolino Carreira e Olga Prats

Joly Braga Santos [1924-1988]
Peça para Flauta e Piano 3’50’’
Dedicada a Luís Boulton
interpretação de Nuno Ivo Cruz e Olga Prats

Joly Braga Santos [1924-1988]
Adagio e Scherzino (1956) 6’50’’
Para Quinteto de Sopros
Dedicada ao Quinteto Nacional de Sopros
interpretação de Nuno Ivo Cruz, Ricardo Lopes, António Saiote, Carolino Carreira e Paulo Guerreiro

Joly Braga Santos [1924-1988]
Suite para Instrumentos de Metal (1985) 15’00’’
Para 3 Trompetes, Trompa, 2 Trombones e Tuba
Dedicado ao Grupo de Metais de Lisboa
interpretação de Jorge Almeida, António Quítalo, Pedro Monteiro, Paulo Guerreiro, Jarrett Buttler, Vítor Faria e Ilídio Massacote
Sobre o Quarteto Lopes-Graça
Composto por Luís Pacheco Cunha (Violino), Maria José Laginha (Violino), Isabel Pimentel (Violeta) e Catherine Strynckx (Violoncelo), o Quarteto Lopes-Graça formou-se em 2005 com o objectivo de dotar a Escola de Música do Conservatório Nacional (Lisboa) de um grupo de referência na área das cordas, com condições para desenvolver um trabalho permanente com output aos níveis da formação especializada em música de câmara (masterclasses de quarteto) e da promoção da escola, no país e no estrangeiro.
Desde então, afirmou-se como agrupamento de referência na sua área, tendo actuado nas mais importantes salas e eventos musicais do país: Festa da Música e Dias da Música do Centro Cultural de Belém; Casa da Música do Porto; Culturgest, Teatro São Luiz, Teatro da Trindade, em Lisboa; Encontros de Música do Alentejo, em Évora, entre muitos outros projectos e espaços culturais.
Em Maio de 2009 editou o seu primeiro projecto discográfico – um CD com obras de Fernando Lopes-Graça e António Victorino d’Almeida; em 2011 um novo álbum, em conjunto com o Opus Ensemble e o Duo Contracello, com as obras estreadas no Festival CRIASONS; e em 2014/2015 dois CDs com a obra integral de Fernando Lopes-Graça para Quarteto e Piano, com Olga Prats.

This entry was posted in Agenda and tagged , . Bookmark the permalink.

Comments are closed.