Ópera Comunitária – Giraldo e Samira

giraldosite

Ao Longo de 2017 a equipa de MUSICAMERA Produções e o compositor Amílcar Vasques-Dias criaram e levaram à cena a ópera, com forte componente participativa, Soror Mariana Alcoforado, inteiramente apoiada e produzida no concelho de Almada, no espaço do Convento dos Capuchos. Foi uma magnífica experiência de trabalho coletivo que contou com o apoio e a afluência maciça da população de tal forma que captou a atenção de outros parceiros.
É assim que surge agora o convite da Câmara Municipal de Évora para uma nova criação que deverá alavancar a almejada candidatura daquele Município a Capital Europeia da Cultura. Há fortes motivos para tal. Tratar-se-á afinal da primeira ópera criada na cidade e com uma temática que vai beber à sua cultura toda ela feita de confluências e convivências civilizacionais e à sua história.
Giraldo “sem pavor” foi um herói improvável proscrito por D. Afonso Henriques, logo guindado a conquistador sanguinário. Samira seria a sua Moira encantada logo traída, sacrificada na ara de fogo de outras paixões mais mundanas.
Este o contexto que nos permitirá, nesta nova produção exaltar não o ímpeto guerreiro mas as múltiplas virtudes da interculturalidade que fizeram de Évora o centro erudito e cosmopolita que ainda hoje se orgulha de ser.
Assim na base da criação da nova Ópera deverá estar um trabalho aturado de investigação histórica e pesquisa orientada para o universo poético / literário e musical subjacente à época e às geografias em que decorre a acção.
Concebemos, subsequentemente, a montagem deste Projecto em regime de residência artística, promovendo, ao longo de um período de pelo menos 6 meses, workshops com elementos seleccionados da comunidade – estudantes das escolas do concelho, membros de coros e outros corpos artísticos “participativos”, população em geral.
Em paralelo decorrerá o trabalho de construção da narrativa cénica e a preparação – em permanente interacção artística – dos artistas e agrupamentos profissionais a envolver – solistas, orquestra “clássica”, grupo musical árabe, Companhia de Dança Contemporânea de Évora, outros criativos (figurinista e cenógrafo).
Finalmente a apresentação da nova Ópera será realizada na Praça do Sertório (ou outro espaço a definir mais adiante), em três espectáculos a decorrer em Junho de 2019.