07 de Outubro 2023 | 19H00

Pombal, Teatro-Cine

FICHA ARTÍSTICA

Libreto e encenação – CLAUDIO HOCHMAN

Música – CÉSAR VIANA

Direção Musical – BRIAN MACKAY

Co-repetição – TAÍSSA POLIAKOVA CUNHA

Conceito / Produção Geral – LUÍS PACHECO CUNHA

Desenho de Luz – ANABELA GASPAR

Figurinos – ISABEL TELINHOS

Produção – MARIANA SILVA GODINHO E ÉLIO CORREIA

Direção de Cena – CARLOTA BLANC

Tradução e legendagem – MARIANA SILVA E LUÍS PACHECO CUNHA

Debussy e Mélissande

Este espetáculo insere-se na programação de MUSICAMERA explorando as efemérides em torno da celebração do aniversário de Debussy (160 anos do nascimento) e dos 120 anos de estreia da ópera Pélleas et Mélisande, de Maurice Maeterlinck e Claude Debussy.

Apostamos num conceito em que a obra prima de Debussy é, ela própria, protagonista de uma nova criação musical / teatral, permitindo a um público mais vasto a sua descoberta e fruição.

O espetáculo deriva, assim, da ópera, mas adota uma atitude meta-discursiva, criando uma “história” da história, que não se confunda com uma perspetiva de “versão reduzida” ou fragmentada da ópera. O texto simbolista permite este tratamento e recriação dramatúrgica.

Ao público é proposta uma viagem ao tempo da criação da ópera para assistir à querela entre Maurice Maeterlink e Claude Debussy pela apropriação da história dos jovens amantes do ignoto e intemporal reino de Alemonde mas também pelos encantos de Mary Garden, a soprano que daria vida à personagem de Mélisande aquando da sua estreia e que permanece, a justo título, a sua mais famosa intérprete.

E é assim que, num vórtice espácio-temporal, nos perdemos entre a ficção e a realidade das questões que na vida realmente importam e eternamente nos confundem e estimulam.

Sinopse: Debussy apaixona-se pelo texto de Maeterlinck “Pelleas e Melisande” e quer usá-lo para escrever uma ópera. A cantora Mary Garden entusiasma-se com a ideia e vai ajudá-lo a convencer o relutante Maurice Materlinck. Este até aceitaria, se o papel principal fosse para a sua amante, Georgette, mas Mary quer o papel para si... Os ensaios são atribulados e a estreia não corre de forma ideal… A ópera Pelleas e Melisande, de Claude Debussy, é uma das maiores criações operáticas do século XX, e apesar de a reação inicial não ter sido consensual, não tardou em impor-se como um marco incontornável do repertório.