12 de Novembro 2020 | 18H30

Teatro Nacional de São Carlos

FICHA ARTÍSTICA

Brian MacKay - Direcção
António Victorino d’Almeida - Piano
Katharine Rawdon - Flauta
Paulo Gaspar - Clarinete
Franz Dorsam - Fagote
Luís Vieira - Trompa
António Quítalo - Trompete
Taíssa Poliakova - Piano
Madalena Garcia Reis - Piano
Paulo Jorge Ferreira - Acordeão
Pedro Silva - Bateria
Luís Pacheco Cunha - Violino
Maria José Laginha - Violino
Isabel Pimentel - Violeta
Carmen Cardeal - Harpa

FESTIVAL CRIASONS III

1º CONCERTO - ANTÓNIO VICTORINO D'ALMEIDA

Está de regresso o Festival Criasons, um dos principais eventos nacionais cuja missão é promover e divulgar amplamente a música erudita, com particular incidência na criação contemporânea produzida em Portugal.

Seguindo a fórmula de sucesso das edições anteriores, o festival apresenta programas inéditos de compositores consagrados e de novos nomes da composição escolhidos por concurso.

O primeiro dos concertos da 3ª edição do Festival Criasons é o que apresenta o programa de António Victorino D'Almeida, intitulado "As Suites Teatrais".

“AS SUITES TEATRAIS”

A música de cena, tanto ou mesmo até mais do que as bandas sonoras cinematográficas, deve reflectir o mais possível a personalidade do dramaturgo, obviamente, a das personagens, mas também a do encenador.
Assim, se O Cerejal tem uma estética musical que se associa claramente, penso eu, a Tchekov e à Rússia do seu tempo, também me parece indiscutível que esta minha partitura se deveu em grande parte aos conceitos do encenador Achim Benning - ao tempo também Director do Burgtheater de Viena. 
Nessa encenação, a pequena orquestra de judeus ( que, noutras encenações, se faz apenas ouvir ao longe...) fazia, parte da acção, reagindo de acordo com as situações criadas pelas personagens, podendo até «perder a cabeça» e entrar, aqui e acolá, por uma linguagem caótica condizente com acção que se desenrolava no palco.
Já em Feydeau, a partitura de La puce à l'oreille, que também escrevi para o Burgtheater, segue claramente a linha estética do chamado teatro de boulevard, mas não conta nenhuma história paralela. Sobretudo, situa-nos na época, respondendo, de quando em quando, ao humor do texto.
Assim, talvez pudesse ter sido "outro compositor" aquele que escreveu a música de cena para "Uma Donzela para um Gorila", onde as truculências, por vezes surreais, do dramaturgo Arrabal  mergulham os espectadores num estranho mundo de absurdos, pincelados aqui e além por inesperadas notas de realismo. 
Este mundo de contrastes entre o burlesco e o brutal - ou também o sensual, com laivos de surpreendente candura -, foi-me sugerido pelo brilhante encenador Philippe Fridman, alguém que conseguiu transformar um grupo de jovens estudantes do Liceu Francês de Lisboa numa das melhores companhias teatrais de então.
A ligação do oboé ( também corne inglês) e da flauta à inusitada parceria de um piano e de um cravo, e destes a um naipe de percussionistas que engloba a chamada bateria de jazz, terá sido a minha tentativa de corresponder às truculências de Arrabal.

António Victorino D'Almeida, 2020

Todos concertos do Festival Criasons são de entrada gratuita. As reservas de bilhetes devem ser feitas através do email geral@musicamera.pt. Os bilhetes devem ser levantados no dia de cada concerto na bilheteira do Teatro Nacional de São Carlos, até meia hora antes do início. Reservas limitadas a 4 bilhetes por pessoa.

O Festival Criasons e o Teatro Nacional de São Carlos garantem o cumprimento de todas as recomendações de segurança da Direção-Geral da Saúde e das várias entidades competentes.

PROGRAMA

António Victorino d’ALMEIDA [Lisboa, 1940]
"Anton Tchekhov – “O Cerejal”, op. 60 (1982)  
Encomenda do Burg Theater de Viena.        
Estreado no Burg Theater, Viena, em 1982 – encenação de Achim Benning para clarinete, violino, trompa, fagote, acordeão e piano."

António Victorino d’ALMEIDA [Lisboa, 1940]
"A Relíquia" Adaptação teatral do romance de Eça de Queiroz.
Dramaturgia e música original de António Victorino d’Almeida.
Encomenda do Burg Theather de Viena.
Estreia em Portugal em 2000 (Teatro A Barraca, encenação de Hélder Costa).
Versão para piano a 4 mãos."

Daniel DAVIS [Caracas, 1990]
"Between a Man and a Butterfly” (2020)
Para violino, violoncelo e piano.
Obra em estreia absoluta composta especialmente para o Festival Criasons III.

António Victorino d’ALMEIDA [Lisboa, 1940]
"Georges Feydeau – “La Puce à l’Oreille”, op. 61 (1983)  
Encomenda do Burg Theater de Viena.                              
Estreado no Burg Theater, Viena, em 1983 – encenação de Achim Benning para quarteto de cordas, trompete, acordeão, harpa, piano e percussões."